O Comitê para Democratização da Informática – CDI/Ceará, foi fundado em setembro de 2000, com o apoio e em sintonia com o CDI/Matriz, que nos concebeu o patrocínio da Fundação Kellogg e mais recentemente com a PHILIPS, é uma organização não – governamental, sem fins lucrativos que, desde 2000, desenvolvem o trabalho pioneiro de levar a informática às populações menos favorecidas. Através das Escolas de Informática e Cidadania (EIC) implementa programas educacionais, profissionalizantes e de intervenção social, no Ceará atuando com 29 na Capital e Região Metropolitana e 7 no Interior.
Atualmente existem 36 Escolas de Informática e Cidadania (EIC), autônomas e auto-sustentáveis, que desenvolvem atividades. Como resultado dos esforços da organização já foram capacitados no total de 7.589 crianças e jovens. As EIC’s hoje funcionam com um total de aproximadamente 1080 alunos.
Nesses programas, o CDI/Ceará promove também a cidadania, alfabetização, ecologia, saúde, direitos humanos e não-violência.

Tem como objetivo de reintegrar os membros de comunidades pobres, principalmente crianças em situação de rua, jovens com necessidades especiais, deficientes físicos e auditivos, pessoas portadoras do vírus HIV e minorias excluídas como, homossexuais e prostitutas, pessoas da terceira idade, famílias de pescadores, entre outros, diminuindo assim os níveis de exclusão social a que são submetidos.

A principal atividade do CDI/Ceará é a implantação de EIC’s em comunidades carentes. Oferecendo gratuitamente as comunidades, assessoria técnica, capacitação de instrutores e auxílio no desenvolvimento de metodologia e currículos específicos para diferentes grupos sociais. Para isso, o CDI/Ceará, recebe doações de hardware e software diversos (05 computadores e 01 impressora, em média) e cede em regime de comodato para as EIC’s. Uma vez criada uma EIC, o CDI se compromete a acompanha-la no seu desenvolvimento organizacional e pedagógico.

 

Nossa Equipe

Glaucia Mota - Coordenadora Geral

Glaucia Mota - Coordenadora Geral

Atribuições: O coordenador geral analisa e aprova todas as ações de rotina da administração do escritório regional, analisa e delibera sobre pedidos de implantação de novas escolas em diferentes comunidades, representa a entidade em reuniões locais, regionais e nacionais, preside as comissões de seleção e contratação de novo pessoal, identifica entidades/fontes de recursos em nível local, regional, nacional e internacional, obter formulários/instruções e escrever os respectivos projetos/propostas, solicitando informações dos setores/pessoas adequadas, buscar suas próprias fontes financiamento e a elaborar seus projetos.

Ana Paula - Pedagógico

Ana Paula - Pedagógico

Atribuições: Garantir o conhecimento e a formação dentro da PPP; Apoiar a equipe de Projetos Sociais na formação de educadores e coordenadores das EIC´s, responsável pela articulação local junto aos parceiros, prestação de contas aos financiadores e apresentação de relatórios físico/financeiro, participação diretamente no processo de implantação e descredenciam descredenciamento das EICs, analisa relatórios de visitas, encontros e capacitações, buscando estratégias de fortalecimento e sustentabilidade junto as EICs, responsável pela aquisição de equipamentos e contratação de serviços e pessoal e comunicação junto à mídia local e nacional das ações desenvolvidas pelo CDI-Ce, bem como os seus resultados e impactos em nível individual e social, garantir à rede de EICs acesso ao máximo de informações relacionadas ao gerenciamento do programa e oportunidades de financiamento e responsável pela liberação dos equipamentos de informática

Joelson - Tecnólogico

Joelson - Tecnólogico

Atribuições: Fazer o acompanhamento do parque tecnológico das EIC´s, quando necessário, realizar as devidas manutenções das máquinas; Dar capacitações na área tecnológica;

Charles - Projetos Sociais

Charles - Projetos Sociais

Atribuições: Pensar estratégias para implantar as diretrizes em seu regional;Preservar de qualidade; Alimentar com informações a rede; Flexibilizar as diretrizes adequando as realidades do regional; Negociar com os responsáveis pela entidade as questões que dizem respeito à EIC visando a qualidade dos trabalhos.