HISTÓRICO CDI

Nos primeiros anos da década de 90, Rodrigo Baggio era um jovem professor com bem-sucedida experiência no setor privado, com passagem por empresas como Accenture e IBM. Poderia manter-se assim por muito tempo, em condição financeira e profissional estável, não fosse a insatisfação com os rumos de sua vida e a vontade legítima de atuar no campo social. Foi quando deu uma guinada, começando a plantar, junto com amigos e voluntários, a semente do CDI.

Rodrigo-Baggio-Fundador-CDI

Baggio iniciou sua nova trajetória em 1995, com o CDI e a campanha “Informática para Todos”, pioneira na América Latina, que arrecadou computadores para a população do Morro Dona Marta, em Botafogo, no Rio de Janeiro. Mas era preciso ir além: ensinar a juventude daquela comunidade a manter esses equipamentos e, sobretudo, a extrair o melhor da tecnologia. A necessidade de implantar no Dona Marta a cultura da informática motivou Rodrigo, então, a se tornar um verdadeiro empreendedor social, enfrentando os mais céticos e pessimistas. Nascia, assim, cercada de desafios, a organização não governamental CDI, a primeira a realizar ações de inclusão digital sustentável em benefício de populações menos favorecidas.

O primeiro espaço CDI instalado na favela Dona Marta acabou gerando outros espaços semelhantes em diversas comunidades de baixa renda no Brasil e, logo depois, em vários países. O modelo CDI ganhou visibilidade e capilaridade num ritmo tão veloz que nem o próprio Rodrigo imaginara. E, a partir daí, vem inspirando diversas ações e movimentos contra o apartheid digital, pois tanto a organização quanto seu fundador tornaram-se, reconhecidamente, referência mundial na área de inclusão digital.

O CDI – Comitê para a Democratização da Informática, utiliza as tecnologias da informação e da comunicação (TICs), para melhorar a qualidade de vida da população de baixa renda, fomentar o exercício pleno da cidadania, estimular o empreendedorismo e criar novas gerações de empreendedores sociais.

CDI Ceará

 

Visão

Acreditamos num mundo onde TODAS as pessoas possam participar ativamente da nova sociedade do conhecimento, na condição de cidadãos autônomos, críticos e empreendedores.

Missão

Nossa missão é transformar vidas e fortalecer comunidade de baixa renda através da capacitação nas tecnologias da informação e comunicação e de um aprendizado complementar voltado à prática da
cidadania e do empreendedorismo.

Em 2000 foi criado o regional CDI/Ceará – Comitê para a Democratização da Informática,localizada
em Fortaleza, sendo uma organização não governamental sem fins lucrativos que, desenvolve trabalho
pioneiro de promoção da inclusão social, usando a tecnologia da informação como instrumento para a construção e o exercício da cidadania, através de parceria com organizações e voluntários envolvidos
em promover a inclusão social utilizando a Tecnologia da Informação.

O modelo CDI está adaptado, com sucesso, para atender diversos públicos como crianças, jovens e
adultos, de comunidades menos favorecidas, e especiais, como jovens em situação de vulnerabilidade
social, comunidades carcerárias, deficientes físicos, entre outros.

O trabalho do CDI é amparado por uma Proposta Político Pedagógica inspirada em conceitos do educador
Paulo Freire, o que possibilita sua aplicação em diferentes cenários. Trata-se de uma pedagogia construída
a partir da percepção da realidade local, que pode ser transformada a partir da ação cidadã.